Select Menu
Select Menu

Noticias

Games

Entretenimento

Tecnologia

Ciência

Análises

Humor

Vídeos

Especial

» » » » É Cilada Bino! É menina ou menino?


alexdias 16:00 0




*aquela gatinha de cosplayer pode não ser necessariamente uma gatinha...

Por Alexandre NinjaDog

Já falei sobre algumas bizarrices da cultura otaku do Japão: meninas-travesseiro, voto-de-castidade, simuladores de namoro...mas quanto mais você pesquisa, mais surpresas aparecem. Surpresas cada vez mais chocantes!

A sociedade japonesa enfrenta atualmente mudanças socio-culturais radicais, que passam a impressão de que eles realmente são um povo vindo de outro planeta! Homens e mulheres cada vez menos demonstram interesse em começar e manter uma relação amorosa duradoura. Há cada vez menos crianças nascendo e mais jovens-adultos ficando velhos. Os japoneses simplesmente não querem saber de transar - pelo menos no mundo real. A coisa é tão assustadora, que já estão surgindo cidades-fantasma no interior do Japão.

Mas mudando de pato pra ganso...Não é de hoje, que os orientais tem um gosto muito peculiar tratando-se de sexualidade. Desde que inventaram o teatro Kabuki no periodo feudal, no Japão há adeptos do bizarro fenômeno chamado "crossdressing": na qual meninos se vestem de meninas (e o contrário também). Não porque tais elementos sejam declaradamente homossexuais, mas…eles curtem se vestir de menina. Adicione o fato de que o atual padrão de beleza oriental incentiva os jovens daquelas terras terem uma aparência andrógina - basta assistir a um clipe de J-rock/J-pop, ou jogar um Final Fantasy -  pra você ter uma ideia da situação.

Como todos nós sabemos, no Japão a bizarrice é serious buziness: saiu ano passado um livro ensinando técnicas de maquiagem para meninos se disfarçarem de meninas com o inusitado nome “Você vai ficar bonitinho assim! Livro de maquiagem para Menino(a)s”

Paradoxo sexual: onde "afeminado" vira macho



























Nas culturas orientais, desde muito tempo atrás, lá da época do Kama-Sutra, a fusão física de características femininas e masculinas num só corpo é considerada sinônimo de perfeição tântrica. O ser andrógino, por ser macho e fêmea ao mesmo tempo, é um ser divino, capaz de sentir prazeres únicos com orgasmos que atingem o Nirvana (não, não estou falando da banda grunge!)

Na atual sociedade japonesa, essa "divindade" andrógena é representada principalmente no meio pop: homens com feições afeminadas estão presentes no cenário musical, cosplay, filmes, teatro, dança. Cristiane Akune Sato, autora do livro Jpop - O Poder da Cultura Pop Japonesa - alega: 

“No Japão, você olha pra rua e é um mar de gente parecida. Quase todos têm a mesma altura, cor de cabelo, tom de pele. Homens e mulheres, lá, têm diferenças sutis. E as pessoas costumam elogiar dizendo que aquele homem é tão bonito quanto uma mulher"





















*e ae, dá pra encarar essa linda japinha? Oh, wait....

Esse fenômeno pode assustar a nós másculos ocidentais, mas tudo isso tem uma explicação em nossas origens históricas: nossas características físicas são influenciadas diretamente pela anatomia greco-romana, onde os homens possuem musculatura mais parruda e rosto quadrado, com pelos à amostra. O homem ocidental deve ser mais viril, mais brutal. Já no oriente, utiliza-se a androginia como maneira de exaltar a perfeição da forma feminina, mais delicada e triangular, próxima de um anjo. Dentro da tradição do teatro Kabuki, o ator se disfarça com o objetivo de ser tão belo quanto seria se fosse uma mulher, ao invés de representar o ser feminino duma forma cômica e caricata. E naquela época (Japão Feudal), as mulheres eram proibidas de participar de manifestações culturais e muito menos de serviços de homem!

O feminismo é muito forte na cultura pop oriental hoje. Além de ser uma questão estética, tem tons de espiritualidade...

é uma cilada bino!
Dentro  da extremamente conservadora e machista sociedade japonesa, brincar de ser o sexo oposto é uma válvula de escape para uma suposta libertação sexual. Segundo estudos da pesquisadora em cultura japonesa, Sonia Luyten, a fantasia do crossdressing é uma maneira dos japoneses expressarem seus desejos e emoções reprimidos, de certa maneira artística. "A cultura otaku promove uma possibilidade de fuga da realidade, dura e fria, por meio da fantasia - uma fantasia que não pode realizar concretamente no cotidiano”.


Então, fica a dica: se você um dia viajar pro Japão. cuidado ao xavecar uma linda cosplayer vestida de gothic-lolita: porque "ela" na verdade pode ser "ele" ! 

Matéria sobre androginia no Japão:

«
Next
Postagem mais recente
»
Previous
Postagem mais antiga

Nenhum comentário

Leave a Reply